26 09“Não há gestão de pessoas, sem gestão de saúde”. Com essa fala, o diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Leandro Fonseca, sintetizou a importância de uma atuação mais forte dos grandes contratantes de planos de saúde empresariais para a mudança no modelo de assistência à saúde e para a geração de resultados em saúde. Fonseca participou, nessa terça-feira (24/09), da abertura do II Seminário Internacional SESI de Saúde Suplementar. 

O evento reuniu especialistas brasileiros e internacionais para discutir esse tema que é relevante em todo o mundo: como conciliar o melhor atendimento a um custo possível de ser pago. 

Entre os principais temas abordados no seminário, Lindsay Martin, diretora executiva de Melhorias do Institute for Healthcare Improvement (IHI) falou sobre a experiência nos Estados Unidos do uso de ferramentas para a gestão da saúde  e de como a coalizão de empresas contratantes de plano de saúde contribui na transformação do Sistema de Saúde. Para falar de experiências exitosas na gestão de saúde de trabalhadores, Juliana Azevedo e Edson de Marchi apresentaram, respectivamente, iniciativas da Procter & Gamble e da Ambev que resultaram em menor incidência de afastamentos por causas médicas e em redução de custos com saúde. 

Na parte da tarde, Luís Peres, presidente da Faro, falou sobre a experiência de inovação em Porto Rico com a transição para um sistema de saúde baseado em valor. Durante o painel “A jornada de saúde baseada em valor”, Rogério Scarabel, diretor de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, ressaltou que a reguladora está atenta aos desafios do setor, promovendo encontros e debates com todos os seus públicos: “Não temos lados opostos, mas perspectivas diferentes. Nossa proposta é atuar em conjunto para aperfeiçoar a regulação e ter um setor que entregue cada vez mais valor aos seus usuários”, concluiu ele no último painel do II Seminário Internacional SESI de Saúde Suplementar.